Bolsa.pt

Informações sobre a bolsa de valores.

Investimento de Rendimento

O investimento de rendimento, que tem como objetivo escolher as empresas que providenciam um fluxo estável de rendimentos, talvez seja uma das estratégias de seleção de ações mais simples. Quando os investidores pensam em rendimentos estáveis, normalmente pensam em títulos de rendimentos fixos, como obrigações. No entanto, as ações também podem gerar rendimentos estáveis, ao pagar sólidos dividendos. Aqui estamos a olhar para a estratégia, que se foca em encontrar estes tipos de ações.

Quem paga as Ações?

Normalmente os investidores de rendimentos focam-se em firmas mais velhas, mais bem estabelecidas, que atingiram um determinado tamanho e já não são mais capazes de sustentar níveis mais elevados de crescimento. Estas empresas geralmente já não estão em indústrias de rápida expansão e por isso em vez de reinvestir os lucros acumulados em si mesmos (como muitas empresas de alto crescimento fazem), as empresas maduras tendem a pagar os lucros retidos como ações, de forma dar um retorno aos seus acionistas.

Deste modo, os dividendos são mais proeminentes em certas indústrias. As empresas de serviços de utilidade pública, por exemplo, têm tradicionalmente pago, dividendos bastante decentes, e esta tendência continuará no futuro.

Rendimento de Ações (Dividend Yield)

O investimento de rendimentos não é simplesmente investir em empresas com as ações mais altas (valores em euros). O indicador mais importante é o rendimento de ações calculado ao dividir-se o dividendo anual por ação pelo preço da ação. Isto mede o retorno real de dividendos que dá ao proprietário das ações. Por exemplo, uma empresa com um preço de ações de 100€ e um dividendo de 6€ por ação tem um rendimento de ações de 6%, ou um retorno de dividendos de 6%. O rendimento médio de dividendos para as empresas do S&P 500 é de 2-3%.

Mas os investidores de rendimentos exigem um rendimento muito maior do que 2-3%. A maioria está à procura dum rendimento mínimo de 5-6%, o que num investimento de €1 milhão iria produzir rendimentos (antes de serem taxados) de €50.000-€60.000. O princípio motriz por trás dessa estratégia, está provavelmente a tornar-se bastante claro: encontrar boas empresas com altos rendimentos de ações sustentáveis para receber um fluxo contínuo e previsível de dinheiro a longo prazo.

Outro fator a considerar com no rendimento de ações é a política de dividendos passada duma empresa. Os investidores de rendimentos devem determinar se uma empresa em vista pode continuar com os seus dividendos. Se uma empresa aumentou recentemente os dividendos STI, não se esqueça de analisar essa decisão. Um grande aumento, digamos, de 1,5% para 6%, num período curto: como um ou dois anos, pode vir a ser demasiado otimista e não sustentável para o futuro. Quanto mais tempo a empresa tem vindo a pagar bons dividendos, mais provável é que irá continuar a fazê-lo no futuro. As empresas que tiveram dividendos estáveis ao longo dos últimos cinco, 10, 15 ou até mesmo 50 anos tendem a continuar essa tendência.

Um Exemplo

Há muitas boas empresas que pagam grandes dividendos e que também crescem a uma taxa respeitável. O melhor exemplo disso talvez seja a Johnson & Johnson. De 1963 a 2004, a Johnson & Johnson tem aumentado os dividendos STI todos os anos. Na realidade, se comprou ações em 1963, os rendimentos das suas ações iniciais teriam crescido anualmente cerca de 12%. Trinta anos mais tarde, apenas os seus rendimentos de dividendos teria rendido um retorno anual de 48% das suas ações iniciais!

Aqui está um gráfico do preço da ação da Johnson & Johnson (ajustado para os desdobramento de ações e pagamentos de dividendos), o que demonstra o poder da combinação de rendimento de ações e a valorização da empresa:

Investimento de Rendimento

Este gráfico aborda as preocupações dos que simplesmente rejeitam o investimento de rendimentos como um estilo de investimento extremamente defensivo e conservador. Quando um investimento inicial aprecia mais de 225 vezes - incluindo dividendos - em cerca 20 anos, isto pode ser do mais “sexy” que pode existir.

Os Dividendos Não São Tudo

Nunca deve investir exclusivamente com base em dividendos. Tenha em mente que os dividendos elevados não são indicadores automáticos duma boa companhia. Porque são pagos com o lucro líquido duma empresa, dividendos mais altos resultarão em menores lucros acumulados. Os problemas surgem quando os rendimentos que teriam sido melhor serem reinvestidos na empresa vão em vez disso para pagar dividendos altos.

A estratégia de investimento de rendimentos é mais do que usar simplesmente uma máquina para analisar ações para encontrar as empresas com o maior rendimento de ações. Porque estes rendimentos só valem alguma coisa se forem sustentáveis, os investidores de rendimentos devem ter a certeza que analisam cuidadosamente as suas empresas, comprando apenas as que têm bons alicerces. Tal como todas as outras estratégias discutidas neste tutorial, ainda não existe nenhuma fórmula mágica, numa estratégia de investimento de rendimentos, para encontrar uma boa companhia. Para determinar a sustentabilidade de dividendos, por meio da análise crítica, cada investidor individual deve usar suas próprias capacidades de interpretação e juízo pessoal - por esta razão, não iremos falar sobre o que define uma “boa companhia”.

Seleção de Ações, um Rendimentos Não Fixo

Algo de que se deve lembrar é que os dividendos não equivalem menor risco. O risco associado a qualquer título de capital ainda se aplica para aqueles com altos rendimentos de ações, ainda que o risco possa ser minimizado ao escolher empresas sólidas.

Impostos Impostos Impostos

Uma observação final importante: na maioria dos países e estados/províncias, o pagamento de dividendos são tributados à mesma taxa que o seu salário. Como tal, estes pagamentos tende a ser mais tributados do que os ganhos de capital, o que é um fator que reduz o seu retorno total.